Alimentação artificial de botos-da-Amazônia (Inia geoffrensis de Blainville 1817) como atração turística e sua dispersão pela Amazônia Brasileira

Luiz Cláudio Pinto de Sá Alves, Mario Angelo Sartori, Artur Andriolo, Alexandre de Freitas Azevedo

Resumo


As atividades de alimentação artificial e nado-com-golfinhos promovidas como atividades turísticas comerciais aumentaram em número nas últimas décadas, apesar do crescente número de publicações descrevendo seus efeitos negativos. No Estado do Amazonas, Brasil, ao menos cinco locais onde botos-da-Amazônia (Inia geoffrensis) são provisionados como atração turística vêm ocorrendo, onde os turistas podem também tocar e nadar com esses animais. Devido aos riscos associados com as interações entre humanos e golfinhos selvagens, são urgentemente necessárias medidas de manejo para controlar essa situação e evitar uma maior dispersão dessa atividade.

Texto completo:

PDF